Flexibilidade na Ginástica Rítmica

Flexibilidade na Ginástica Rítmica

Autoras: Profª Bruna Paz e Profª Márcia Regina Aversani Lourenço

Desde cedo as ginastas são submetidas a diferentes técnicas e tipos de treinamento que desenvolvem a flexibilidade, por ser esta uma das principais capacidades físicas utilizadas no treinamento físico e técnico da ginástica rítmica (GR). Pensando nesta necessidade, o manual de procedimentos para desenvolvimento e acompanhamento desta capacidade física, para praticantes de GR, foi elaborado com a expectativa de atender as fases de iniciação e do treinamento da modalidade, uma vez que a busca pelo desenvolvimento saudável da flexibilidade deve ser constante para que os níveis de exigência da modalidade não prejudiquem as praticantes futuramente. Partindo do pressuposto que como em qualquer outro esporte, na GR não são todas as meninas que alcançam o alto nível competitivo, os cuidados com o treinamento devem levar em consideração os objetivos em cada faixa etária e serem baseados em estudos e discussões científicas, pois independente de participar de competições, todas as praticantes deverão alcançar, no mínimo, bons níveis de flexibilidade para contribuir positivamente em suas práticas de atividade física saudável ao longo da vida. O manual está organizado em quatro capítulos. O capítulo 1 aborda a GR, suas características, formas de praticar e a importância da flexibilidade; o capítulo 2 versa exclusivamente da flexibilidade, conceitos e definições, fatores que influenciam o desenvolvimento da mesma, importância e indicações para o treinamento na GR; o capítulo 3 trata de avaliação da flexibilidade; o capítulo 4 traz os elementos corporais de base e os fundamentais que devem ser ensinados na iniciação. Reflexões acerca da flexibilidade na GR e os cuidados com a qualidade de vida e os aspectos relacionados à saúde dos indivíduos finalizam o manual.

 

Fonte: http://loja.editorafontoura.com.br

Comentários

comentários

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *